Site de Poesias

Menu

ARTE ESPACIAL

 
 
 
Mergulhei no metafísico
Para navegar sobre os astros;
Atônito, nadei alucinado no éter
E velejei conforme meu psíquico.
 
Sem afundar, tampouco sem afogar-me,
Consegui boiar sem os cadastros
Que se infiltram pelo catéter
E que inspira a sensibilidade da arte.
 
No cosmos há sensualidade sombria
E uma volúpia que assaz arrepia
Qualquer cio que se aventure escrever...
 
No infinito, transbordam-se alegorias
Para no tesão imaginativo que se cria
Possam as obras formar um ateliê!
 
 
DE  Ivan de Oliveira Melo
 

 
 

Compartilhar
Ivan de Oliveira Melo
25/11/2019

  • 0 comentários
  • 15 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados