Site de Poesias

Menu

Obrigado por ter trago alegria a esta "casa" (chamada eu)

Desde que pus os meus olhos em você pela primeira vez, soube que me relacionar contigo que seria vomo atravessar uma rua perigosa. 

 

E que rua perigosa!! 

Eu costumava rir da cara do perigo. 

Costumava dizer que eu era o perigo. 

Mas, com o meu coração batendo por você... 

Estou em perigo. 

 

Você chegou, 

a gente conversou. 

Comemos, bebemos e... 

Quando começamos a revelar aquilo que devia ser oculto, a gente dançou. 

 

Ao som de

 Phil Veras - Pode vir comigo. 

 

Ele cantava "não que eu seja..." e eu narrava 

sem medo. 

"Mas, mesmo assim" é narrei: 

não temo. 

Dissemos juntos: 

Pode vir comigo. 

 

E a gente se beijou. 

A gente se abraçou. 

A gente se amou pelo

pouco tempo que foi 

na cozinha gelada da minha casa. 

Onde tocava jazz...

 

Ah,

A gente dançou. 

Parado sem sair do lugar. Haha

Mas, no seu abraço, do seu tamaninho, 

oh, minha baixinha! 

Eu descobri que o seu coração tem espaço para eu ter uma casinha, um sítio, um apartamento e principalmente a mansão onde vou morar. 

 

Que foi, 

você tá assustada? 

Relaxa! 

E apenas escuta o coração dessa pessoa que te ama sem querer nada em troca, 

apenas ao seu lado uma vida longa. 

 

Você foi embora... 

Subiu na sua moto, a balançou para ver se a gasolina dava para chegar em casa, aliás... eram 24km. O medidor parou de funcionar. E pelo som você disse: 

 

Acho que dá até para eu ir trabalhar amanhã. 

 

Não basta você ser bonita, inteligente, do bem, forte, de Deus,  lutando para crescer ser feliz e realizada. 

Você ainda é engraçada. 

 

Obrigado por ter trago alegria a esta "casa" (chamada eu).

 

 

 

@alexandre.cezar.fh

Compartilhar

Curitiba - Pr

Alexandre Cezar Fh
01/09/2019