Site de Poesias

Menu

FLOR IMANENTE!

E aquele impulso para arrancar?
E aquele desejo de cheirá-la?
De ela extrair o trescalável cheiro,
Em toda ela deixar um beijo.
Tê-la em minhas trêmulas mãos,
E, junto, o sentimento em declaração!
 
E aquele afã de manuseá-la?
E aquele incitamento de tocá-la?
Deixar-me sentir o veludíneo de suas pétalas,
E em toda ela deixar as digitais.
Tê-la visceral e freneticamente,
E meu rosto; um sorriso contente!
 
E aquela lascívia intensa de regá-la?
E aquele prazer de olhá-la?
Deduzir o imaginável de toda aquela beleza.
 
E viajar em toda aquela deduzível sedução.
Tê-la parietal e efusivamente,
Em meu espírito, corpo, e coração!
 
 
Autor: Jeovan Alves
Porto Seguro, Bahia, Brazil
 
 
 

 
 



 

Compartilhar

Esse poema tem uma história engraçada. Há uma empressa fazendo o asfaltamento e canteiro da avenida onde moro, e, estão fazendo também um jardim com gramas, arvóres se flores. Eles havia plantado várias delas e estavam plantando mais; quando de repente, passando um moço bem simples, meio tomado e empurrando um carrinho de mão, parou, foi em direção a uma delas, e a arrancou. O pessoal da empreiteira ficou puto da vida, xingou o moço todo. até eu deu umas broncas nele. O engraçado foi o que ele disse: "cara! a flor é linda, eu arranquei para levar para minha esposa. Flores tá cara pra comprar". E, tranquilamente, seguiu o seu curso. Eu, só podia rir. Rir muito. E pensei, o poder da beleza entorpece a gente. Daí, veio a inspiração para FLOR IMANENTE. Abraços e obrigado a todos que curtirem e compartilharem. Porto Seguro, Bahia, Brazil. Porto Seguro, Bahia, Brasil

Jeovan A. dos Santos
13/06/2019