CÉU E INFERNO

CÉU E INFERNO

Oh! angústia que atormenta e se alimenta
Da dor do incauto, do viver em sobressalto
Num inferno que fomenta uma vibe violenta
Igual falaz arauto que toma vida de assalto

Oh! virtude que modera esta dor que impera
Energia celestial que eleva a força espiritual
E que no sol da primavera, jamais degenera
Faz do momento existencial um bem natural

Oh! nativo da terra que ao nascer tanto berra
Idealizastes seres infalíveis, mas são invisíveis
Com eles a guerra, pois um deus também erra
Não são inteligíveis, mesmo assim, previsíveis

Oh! conceitos malditos: céu, inferno e infinito
Lendo o poeta aprendi e no seu pensar, refleti
O céu não é bendito... e no inferno, o inaudito
Céu e inferno estão aqui, habitam dentro de ti

Marco Antônio Abreu Florentino

NOTA: O poeta referido no poema é Omar Khayyám, autor persa dos Rubaiyat.

https://youtu.be/RzyPQRgNoao
(Batendo na Porta do Céu - Zé Ramalho)

Marco Antônio Abreu Florentino
© Todos os direitos reservados