Site de Poesias

Menu

NADA ERA DE JESUS...

NADA ERA DE JESUS

O berço que Jesus usou na estrebaria
Ao nascer neste mundo infortunado
E que foi por acaso oferecido a Maria
Era emprestado!

Em Jerusalém, palmas, alegria,
Pelo povo recebido e aclamado
O jumentinho que o conduzia
Era emprestado!

O mestre entre todos repartia
O pão e o peixe multiplicado
Aquele pão que ele dividia
Era emprestado!

E o barquinho naquele dia
Onde O mar foi acalmado
E que Pedro usou na pescaria
Era emprestado!

O quarto da santa ceia que mostraria
Judas o traidor desgraçado!
Pedro que logo o negaria
Era emprestado!

E o sepulcro de onde havia
Ressurgir ressuscitado
E ressuscitou no terceiro dia
Era emprestado!

Em fim nada era de Jesus
Mas, a coroa de espinhos e a cruz
Eram realmente do messias?

Mas, tudo isso me deixa contrariado.
O berço da estrebaria, o pão que dividia
O jumentinho que chegou montado
O barquinho, O quarto e o túmulo mortuário
Nada ele tinha...
Tudo era emprestado!

Mas, a rude cruz, negra e mesquinha
Onde morreu e me salvou,não era sua
Eu lhe emprestei, A cruz era minha!

Compartilhar
Carlos Cintra
20/04/2019

  • 0 comentários
  • 15 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados