Site de Poesias

Menu

PALPITES

 
 
 
Sabe-se que a noite é uma boa conselheira...
 
A mente precisa de estar em constante operação,
Pois dizem que cabeça vazia é oficina do diabo.
 
Amontoem-se o que não convém e o que convém,
As conclusões serão necessárias para o dia a dia
E que os gostos fiquem de lado, à espera da cirurgia...
 
É verdade que gostos não se discutem, lamentam-se!
É o produto que interessa, basta lembrar sempre:
As melhores fragrâncias estão nos menores frascos,
Paciência e calma:  devagar se chega bem distante.
 
É deveras importante ser dono da própria boca
A fim de que não se torne escravo das palavras...
O mundo é exato o que se vê, portanto atirar certo:
Só se atira pedras em árvores que dão bons frutos, mas
Não esquecer que esta mesma árvore dá frutos maus.
 
Ah! Após dias de chuva intensa, vem o Sol acolhedor,
É quando se aplica o ensinamento: depois da tempestade,
Certamente vem a bonança e, de tostão em tostão, milhão!
Que a cabeça seja o guia... Às vezes, por falta de um grito,
Perde-se toda a boiada, nem os dedos das mãos são iguais.
 
Estar deveras atento em derredor de si mesmo, ter cuidado!
Por quê? Porque quando a cabeça não pensa, o corpo padece.
Trabalhar que trabalhar... O cesteiro que faz um cesto, faz cem
E é o acúmulo das boas ações que faz um homem milionário!
 
Na boca de quem não presta, quem é bom não tem valor...
O silêncio deve ser a alma de qualquer empreendimento,
Porquanto em boca fechada não há perigo de entrar moscas!
 
O velho provérbio vale muito: palavra é prata, silêncio é ouro.
Não esquecer que durante a noite todos os gatos são pardos
 
E que perante à luz do Sol quem rir por último, rir melhor!
 
 
DE  Ivan de Oliveira Melo
 
POEMA INSPIRADO EM PROVÉRBIOS DO NORDESTE BRASILEIRO.
 
( TALENTAI DUPLO )
 
 

 
 

Compartilhar
Ivan de Oliveira Melo
11/02/2019

  • 0 comentários
  • 21 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados