Site de Poesias

Menu

Eu queria ser a Mulher Elástico

 

 


Eu queria ser a Mulher Elástico. Só para não ter que levantar da cama para apagar a luz. Eu esticaria os braços e daria uma interruptada no interruptor. Vocês estão rindo de quê? Sei que usei uma redundância. Mas, não é do pleonasmo que estão rindo? Sim, sei, estão rindo do neologismo? Foi de propósito... Só para me vingar daquele professor, que disse, com toda a autoridade, que nós, alunos, não poderíamos sair por aí, inventando neologismos... Que embora fôssemos um bando de favelados, ninguém ali era Cartola.
Que raiva me deu. Não pelo neologismo, que na época, eu nem me lembrava da figura de estilo, que atribuía novos sentidos a palavras já existentes. Raiva da menina que usou o neologismo e não se defendeu, ficou do lado do professor, pediu desculpas subservientemente. 
Eu tentei defendê-la, de tão humilhada que estava, mas ela e a turma ficaram contra mim.... Sai de fininho pelos corredores da UERJ e fui chorar sozinha, não queria que ninguém assistisse a derrota no coliseu de Pompéia.
Outro dia postei um texto que classifiquei como poesia. Um de meus alunos, que já está na faculdade, colocou embaixo da postagem que aquilo não era poesia, pois não tinha métrica e nem tônica na última sílaba do verso. Lembrei, imediatamente, do professor da UERJ. Só que os papeis estavam invertidos. Ele era o aluno e eu a professora, que estava sendo chamada na chincha. Enviei, imediatamente, uma resposta malcriada. Ele que estava saindo das fraldas do Ensino Médio, já estava se sentido com autoridade de me consertar; que o texto era meu e eu o classificava de acordo com a minha vontade.
Perdi a amizade. Ele me excluiu de seus contatos. E eu... que gostava tanto dele.
Hoje, refletindo melhor as coisas, fico pensando, se vale a pena, perder pessoas, por conta de pleonasmos, neologismos ou métricas de poemas... 
Não aprendemos nada! Não é saber falar bonito, usar metáforas elaboradas, fingir intelectualidade para ser admirado, respeitado... Nada Disso!
A palavra existe para o entendimento entre os homens. 
Pensemos bem, antes de falarmos qualquer coisa, para não ficarmos com histórias presas em nossa consciência.

Escrito por Selma Nardacci

Compartilhar
Selma Nardacci dos Reis
28/01/2019

  • 0 comentários
  • 40 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados