Site de Poesias

Menu

A cabeça sobre os ombros

seus ombros seguravam seu mundo

enquanto sentado ia na rua movimentada

ninguém lhe percebia o corpo quase sem alma

cada qual com seu peso sobre os ombros

mas todos andavam e ele já farto com os pés descalços 

ia sentado com a cabeça quase ao chão

seus ombros a desfalecer

olhos fechados nada a mexer

somente uma respiração pausada e um pulsar sofredor do coração que não dava para ver

era cadáver ou ainda lhe restava vida

nesse corpo esquecido sentado no calçadão na praça da cidade movimentada? 

talvez sonhasse com algo que o libertasse

a mente pendente sobre os ombros saturados

talvez de carregar uma mente cheia de dores

porém onde a esperança fosse a última a morrer 

a coluna já tão quebrada sem força para o levantar do chão

seria a derrota que levara a coluna a quebrar e a cabeça nos ombros a se segurar? 

não, é esse mundo que só nos faz ver o nosso

e esquecer deitado no chão o amigo

irmão desfalecido com a cabeça que pende

o corpo estirado

lutando como pombos por um único 

grão

no meio de tantos outros que também vão com  a cabeça nos ombros a pender 

 

 

Compartilhar

um garoto que vi deitado na rua, com a cabeça pendente sobre os ombros Botucatu - São Paulo

Marcela Hebeler Barbosa
23/11/2018

  • 1 comentário
  • 26 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados