Site de Poesias

Menu

SOL

 
 
Sol moleque que enfim chegaste
Às campinas tatuadas de nuvens
Sobre as quais os homens ouvem
O trucidar do calor em sua haste.
 
Vagabundo Sol que o dia esconde
Sob o frio gélido da meteorologia
Deixando às noites ritos e alegoria
Em máscaras negras no horizonte.
 
Sol psicopata que fere no arco-íris
As cores que vomitam toda a bílis
Encontrada nos vagões estomacais.
 
Esdrúxulo Sol... Vil contrabandista
Das estrelas cadentes em sua isca,
Sicário dos astros e seus ancestrais!
 
 
DE  Ivan de Oliveira Melo
 

 
 

Compartilhar
Ivan de Oliveira Melo
23/11/2018

  • 0 comentários
  • 18 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados