Site de Poesias

Menu

Na linha 206

 

Do ônibus que passa
no ponto que para
rápido vemos
ou nem percebemos
 
Do ônibus que passa
eu ergo o braço, aceno, entro
No passar do cartão, sentar
em nada reparar
a rotina me pega
pela janela
que sempre sento
 
De repente
ele
que rápido vemos
ou nem percebemos
diz em voz alta...
até pensei:
Mas, era esse que aí estava?
 
E lá vem ele
mais uma vez
ninguém entendeu
de início reparou
olhos lentamente despertados
sair do rotineiro
não me parece fácil
bocas abertas
surpresa
 
Ele repete, quer a resposta
todos o olham
olham para ele
 
O cobrador
novo na linha
Que só diz
Bom dia
 
Bom dia repetido
respostas espera
brincalhão
 
A brincar com a rotina alheia
naquele trajeto
um dia qualquer
na linha
dois, zero, seis

 

 

Compartilhar

um dia que andei de ônibus, fazia minhas compras, e andava nessa linha Botucatu - São Paulo

Marcela Hebeler Barbosa
16/10/2018

  • 0 comentários
  • 12 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados