Site de Poesias

Menu

As ondas de vai e vem

a areia fofa toma os pés 

uma areia branca cheia de conchas vazias deixadas pelas ondas de vai e vem 

 

andar por essa areia catando essas conchas vazias brancas que me lembram a pele que guardo na lembrança na pupila que se enche como a maré das ondas de vai e vem 

 

anoitecendo eu guardo as pequenas e grandes conchas que catei na areia branca com meu leve andar sem queimar os pés descalços pois o Sol já ia sumindo no horizonte das ondas de vai e vem 

 

agora no bolso as conchas brancas chocalham batendo uma nas outras eu coloco minha mão no bolso e sinto levemente as conchas sua dureza, firmeza e mesmo vazias grande beleza seu conteúdo ficou nas ondas de vai e vem

 

paro olho as ondas de vai e vem

como as conchas brancas vazias 

de você eu levarei algo

sempre

e quando

quem sabe retornar

voltarei na mesma praia 

olhar as ondas de vai e vem

quem sabe novas conchas brancas pegar

guardar nos bolsos 

chacoalhar

sentir

e sair da areia

pisar no mar

das ondas de vai e vem

 

quem vem um dia poderá voltar

como as ondas de vai e vem

e ir guardando cada concha branca vazia

enchendo elas de lembrança

cada concha tem um pouco de

esperança 

 

 

 

Compartilhar

Botucatu - São Paulo

Marcela Hebeler Barbosa
30/09/2018

  • 1 comentário
  • 23 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados