Site de Poesias

Menu

Síndrome de Sísifo

Sísifo, na mitologia grega, teve um singular castigo:

Perpetuamente empurrar imensa rocha ao topo da colina,

Apenas para vê-la rolar abaixo e ter de repetir a sina

De levá-la ao cume novamente... O trabalho era um inimigo.

 

Sabendo isto, comparo a personagem aos seres humanos.

Nós tentamos cumprir imensas tarefas, marcar a história,

E somos insignificantes... O existir é repetição e sem glória.

Tudo o que a humanidade faz é copiar ciclos mundanos...

 

Empurramos pedras por montanhas que levam a outras...

A vida é cópia de tormentos passados e nada é inédito...

Inspiro-me nas entrelinhas, naquelas... Estoutras!...

 

Sofremos de uma incurável síndrome de Sísifo;

E isto é o inferno: uma reprise de acontecimentos em descrédito...

O ato humano é tão pífio como um sem asas grifo...

Compartilhar
Thiago da Silva Carbone
16/09/2018