Vamos brincar!

Vamos brincar de ser alegres!

Num contexto de guerra externa

e interna!

 

Vamos brincar de votação!

Eu no leito, tu eleito, e eles

na lei do cão!

 

Vamos brincar de usurpar!

Vamos tarifar

Vem, vamos abençoar

a maldita eleição!

 

Nem general e nem bandido.

Mas quem é general e quem é bandido?

Não se sabe, até que o dinheiro esteja

Explícito!

 

A alma partida, por muitas partidas,

atua em célere descarrego.

 

A alma dividida, ceifada em mil cortes,

atua em oportuno descanso.

 

Elege, vai, elege!

o que tu acreditas,

elege  a tua sina

elege tua estadia,

Mas não brinca,

não brinca não,

Considera pelo menos tua vida

e dos teus!

 

Vai, em meio à relatividade,

Sede corretos!

 

Diego de Andrade
© Todos os direitos reservados