Site de Poesias

Menu

A CAMA DE ANCHIETA

 

 

A CAMA DE ANCHIETA
 
EM REVOADA,
PAPAGAIOS VERDE–AMARELOS
ANUNCIAM SUA CHEGADA
E EM ALGAZARRA
DESAPARECEM NA MATA VIRGEM.
 
SONOLENTA,
A TARDE ESPIA
O HOMEM CURVADO PELO PESO DO TEMPO
QUE CAMINHA EXAUSTO
SOBRE AS CONCHAS DA PRAIA.
 
AS ONDAS SE DOBRAM
REVERENCIANDO SUA BONDADE
E SUAS ÀGUAS,
SILENCIOSAMENTE,
MASSAGEIAM SEUS PÉS DOLORIDOS.
 
A NATUREZA SE CALA...
QUER OUVIR A VOZ
DO NOBRE CORAÇÃO
QUE CANTA VERSOS
PARA A VIRGEM MARIA.
 
ELE NÃO ESTÁ SÓ!
POR TRÁS DAS FOLHAGENS,
FLORES E FRUTOS,
OLHOS CURIOSOS E ATENTOS,
O PROTEGEM.
 
HOMENS?ANIMAIS?
O HOMEM SABE
QUE ESTÃO ALI
E SORRI:
“PRECISO SALVÁ-LOS DESSA IGNORÂNCIA”.
 
NO PEITO,
IMENSA TERNURA PALPITA
POR ESSA GENTE
QUE POVOA
TERRA TÃO BENDITA.
 
UMA GAROA FINA
E GELADA,
CHEGA PARA ACOMPANHA-LO
E BANHA
SEUS PENSAMENTOS.
 
AO LONGE...
SEU CANTINHO
PREDILETO
CHAMA-O
PARA MERECIDO DESCANSO.
 
O PADRE
APRESSA OS PASSOS
E SE APROXIMA DAS ROCHAS
QUE EM CONCHA
ACOLHEM SEU CANSAÇO.
 
A PEDRA
CANTA
PRA ELE
SINGELA
CANÇÃO DE NINAR.
 
AO SEU LADO.
UM CURUMIM ADORMECE,
AQUECIDO
POR SEU OLHAR
 DE PAI.
 
E ENTÃO...
O PADRE JOSÉ DE ANCHIETA,
SONHA QUE ESTÁ EM SUA CAMA,
NA LUSA TERRA
 QUE DEIXOU PRA TRÁS.
 
ITANHAÉM!
A “PEDRA QUE CANTA” E ENCANTA
CONTINUA EMBALANDO OS SONHOS
 DO SANTO HOMEM
COM DOCES LOUVORES AO CRIADOR.
 
                                         MISS
ITANHAÉM- MAIO 2018
                                            
 
 

Compartilhar
Maria Isabel Sartorio Santos
28/07/2018

  • 0 comentários
  • 26 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados