Site de Poesias

Menu

CONFESSO QUE AMEI

CONFESSO QUE AMEI


Ah! como eu amei nessa vida cansada
E aproveitei cada momento da estrada
A ternura acolhedora da mulher amada
Em sussurros delirantes na madrugada


Ah! como eu amei reparar o amanhecer

E a cada novo dia fui capaz de aprender
A ter equilíbrio que não deixa esmorecer

Em razões que vão sempre transcender


Ah! como eu amei elevar a boa amizade
E valorar a família com sólida afetividade
A rota mais curta para achar a felicidade
Em relações que vão além da eternidade

Ah! como eu amei ter nascido como sou
E ter a consciência que o tempo passou

A ilusão de que a existência, não mudou

Em fantasias que a realidade transformou

Marco Antônio Abreu Florentino


https://youtu.be/Mwjf1xsmm9Q

(Ah! Como Eu Amei - Benito de Paula)

Compartilhar

27/07/2018

  • 0 comentários
  • 23 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados