CARTA POEMA PARA A MORTE

Ilustrissima Senhora Morte,

não me apareça num dia de clássico,

quero vibrar na goleada do meu Palmeiras,

Por favor não me apareça no dia das eleições,

preciso levar meu voto a sério, não posso mais errar.

Ilustrissima Senhora Morte,

no ônibus não me venha reivindicar o assento do idoso,

não me interessa tua idade, menopausa ou gravidez.

Ilustrissima Senhora Morte,

encarecidamente não me apareça no McDonald's,

desejo desgustar meu Big Mac pausadamente,

sem esquecer o sorvete de baunilha na casquinha,

Ilustrissima Senhora Morte,

insisto em que não me apareça sensual, provocante,

não desejo ser processado por assédio sexual.

E por último minha Digníssima Morte,

não me apareça pedindo voto para oportunista nenhum,

não responderei pelos meus atos, te encherei de porradas,

não quero ser enquadrado na Lei Maria da Penha.

Obriigado pela atenção e passe muiitíssimo bem!

 

Autor Benedito Morais de Carvalho (benê)

BENEDITO MORAIS DE CARVALHO(BENÊ)
© Todos os direitos reservados