Coração Deserto

 

 
Por longos períodos
Esquecidos pelo tempo
Deixo o meu coração
Abandonado à sorte ingrata
E às vezes não suporto
O seu choro de súplica
E o visito
E fico triste
Ao ver plantas secas
Abraçadas em imortal agonia
Queimando ao sol impiedoso
Onde havia lindos jardins
Em que a vida florescia
Sob o orvalho suave da alegria
Regado pela paz
O deserto queima
Queima tanto
Que o peito arde
E as nuvens da incerteza
Encobrem toda a paisagem
 
Juarez Florintino Dias Filho

 
 

Juarez Florintino Dias Filho
© Todos os direitos reservados