Site de Poesias

Menu

Janela

A menina olhava a janela solitária,

e sonhava...

com um mundo sem escadas vazias sem quintal deserto.

 

Sonhava com o céu azul as tríades de estrelas altas cintilantes,

a menina sozinha pensava num mundo de paisagens

com montanhar e vales verdes

sonhava com o vento tocando sua face num momento de liberdade.

 

Mas como abandonar a janela?

se ela é que é o elo onde ela pode sonhar?

Ali ela deixa o pensamento voar, como pássaro azul

e vê as nuvens de perto, se sair, andará por caminhos incertos

num mundo que não é seu.

"Essa menina sou eu.           (Cris Coradi)

Compartilhar

Boa noite caros amigos estou voltando espero que minhas palavras toquem o coração de pessoas sensíveis que amam a poesia romântica. Cris Coradi.

cris coradi
15/01/2018