Site de Poesias

Menu

SOLIDÃO

É dezembro,cá estou por

entre sombras e lembranças,por entre

a dor e a saudade...todos foram embora

e estou só,nessas paredes

pálidas apenas silêncio e como olhos elas me

fitam me devorando a alma até chegar aos ossos.

Teu olhar é apenas uma fotografia de momentos

que só sei que um dia fui feliz por ser inteiro,mas por

entre essa penumbra e esse rancoroso silêncio em que mergulho

sei que jamais vou encontra o fundo,não,não quero chegar 

a superfície,mas quero saber mais do desconhecido que me chama,e me arrasta

para longe de meus pensamentos.

Os telhados choram e corro meu olhar nas águas das chuvas

que caem nesses dias de dezembro...tão frios,melancólicos e

não tenho ninguém pra conversar,por onde anda todos?

Estão ocupados vivendo suas vidas,seus sonhos e frutrações,

estão buscando a felicidade incompleta que mora dentro de cada um.

Cá estou...olhando lá fora

a penumbra da solidão...venha,vamos brindar a ceia

que já se esfriou,mas o vinho esquenta por dentro nossas almas e corações

e amanhã é um outro dia,um outro sol,uma nova brisa e um céu desconhecido   

e quando amanhecer vou até e necrópole levar flores,incenso 

e mirra porque é natal...é você não existe mais.

 

 

 

Compartilhar
Charles Feitosa de Souza
12/12/2017

  • 0 comentários
  • 38 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados