Site de Poesias

Menu

MARCHA FÚNEBRE DA TERRA

Caronte espera e na sua barca me levará

ao outro lado do rio de água lúgubres e fedorentas.

As almas insanas estão lá,perdidas foram na terra dos vivos;perdidas

estão na terra dos mortos,a terra está enferma,a marcha fúnebre de chopin

tenta alivia sua dor,mas lúcifer o anjo do inferno manda mais anjos da morte

e a terra se desata em sangue e dor.

A espada da justiça está embebecida de sangue e vingança,

e as igreja,religiões,padres e pastores se veem diante do grande julgamento final,

terão que prestar contas de suas hipocrisias,de sua riquezas nefastas e de suas soberbas,pois

enganaram a humanidade em nome de Deus,e agora é a hora da degola e de cabeças fincadas

em lanças expostas em praças públicas.

O funeral da terra chegou,há cheiro de sangue nas esquinas,

e corpos putrefatos tatuados nos asfaltos,são devorados pelos lobos famintos,carniceiros

de voos razantes que descem do céu cor de chumbo,como uma tempestade negra ávidos por carne podre

pousam suaves por entre os vermes para o banquete macabro.

A terra está desabitada,onde estão os seus habitantes e suas glórias?Onde

anda o homem insolente e seu poder?Onde está as nações poderosas e soberbas?Estão perdidos e sem glória,

sem ouros e nem diamantes,estão entregue as traças e nos braços da própria desgraça.

Os profetas avisaram,mas foram mortos pela própria palavra,

lançaram seus corpos aos porcos,suspenderam-no em cravos nas mão e nos pés em tardes cinzentas

para deleites dos insensatos,mas a morte não os venceram porque a morte não pode matar a palavra

que atravessou gerações,e hoje nesse dia negro,cuja beleza da morte se espalha feito uma sombra

aterradora a casa dos vivos,não se pode evitar nem com sangue de carneiro nos umbrais das portas

que ela poupe qualquer vivente...que o dia do apocalipse chegou,é hora do ranger de dentes,é hora de lágrimas e arrependimentos tardios.

A vingança de Deus está próxima e não há como escapar das setas sangrentas

e nem do fio da espada da justiçla...o funeral da terra chegou,a marcha fúnebra se espalha

pelas ruas sombrias e vazias, tudo é silêncio mórbido,porque a morte

agora ronda em busca de almas perdidas.

Compartilhar
Charles Feitosa de Souza
08/11/2017

  • 0 comentários
  • 60 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados