Penso

Penso, logo duvido
dos sem rosto,
sem personagem,
da ilusão e miragem,
da frieza
de quem
tem...
penso, logo insisto,
me armo de coragem,
num doce vai e vem...
duvido,
de quem
trai a dor,
corrói a paz...
nada faz
vive no além,
a esmo,
num andor,
vítima
de si mesmo,
longe do bem.
 

 
Ivone Boechat

Ivone Boechat
© Todos os direitos reservados