A ESCOLHA

 

Existem versos de ausência

De lágrimas de imensa solidão

De saudades na real essência

De quem até perdeu uma paixão

 

Há quem cante a tristeza

Por longo tempo

De alma acostumada na fraqueza

Cega de um melhor passatempo.

 

Se os desencontros viciarem os versos

É melhor aposentar o verbo

E viver a vida de rosto coberto.

 

Se decidirmos amar a presença

Abracemos com o tato e benquerença

Quem decidiu o beijo como sentença.

      (Paulo Rogério Aires Martins)

 

 

Paulo Rogério Aires Martins
© Todos os direitos reservados