SOMBRAS

Em meio a escombros do que outrora era o nosso lar...

Em meio a projetos que mal saíram do papel...

Em meio a momentos que pareciam eternos...

Em meio a tantas coisas me vejo agora num vazio...

Mas como pode haver vazio, se a existência dele é a confirmação do nada?

Mas como posso rir do mundo, Se sou eu mesmo a grande piada?

Pelo menos não ando sozinho, pois enquanto houver luz, haverá sombra...

Belo Horizonte