Orgulho

Orgulho

Quantas coisas faladas,

Não pensadas!

Mágoas inúteis...

Quantas coisas sentidas

Não faladas!

Alegrias poupadas...

Maldito orgulho!...

Que ressalta

O que deve ser podado

E poda

O que devia florescer...

Um dia fica tarde

Não para sentir

Mas para falar

Tudo que ficou sentido

Tudo que ficou retido

Lá dentro, agora,

Pra sempre, escondido!

Juiz de Fora, maio de 2016