Site de Poesias

Menu

A raposa e o galinheiro

A  raposa e o galinheiro
 
Naquele bucólico lugar
Morava uma ladina raposa
E mal despontava o luar
Ia pegar a *penosa
 
O dono do galinheiro
Sofria duros ataques
Nem seu cachorro **alveiro
Evitava tantos saques
 
Assim, via dizimado
Dia a dia o galinheiro
Até que seu empregado
Resolveu por um paradeiro
 
Engendrou cobrir-se de plumas,
Pra ficar igual galinha
À noite esperou a chegada
Dessa tal de libertina,
 
Adentrar ao galinheiro
E fingindo-se galinha
Esperou, lá no poleiro
A pegadora de galinha
 
Quando ela ali entrou
Deu-lhe tremenda paulada
Que ganindo se queixou,
Ficou de perna quebrada
 
Desse dia em diante
Nunca mais ali voltou,
Dando paz ao sitiante
Que seu empregado ajudou !
                                                      *galinha
                                                    **de cor branca
São Paulo, 11/06/2016 (data da criação)
Armando A. C. Garcia
 



Visite meus blogs:
http://brisadapoesia.blogspot.com
http://preludiodesonetos.blogspot.com            
http://criancaspoesias.blogspot.com
 
Direitos autorais registrados
Mantenha a autoria do poema

Compartilhar
ARMANDO A. C. GARCIA
11/06/2016

  • 0 comentários
  • 95 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados