MEMORIA PROFANA

Encontro seu brilho em tudo
Sinto seu cheiro em nossa cama
Aqueço-me em nosso lençol
Meu coração ainda te chama
Guardo tudo que é seu
No armário da memória profana.
 
O amor é como o sol radiante
Após a escuridão volta a brilhar
Somos dois corações distantes
A alma sede de amar
No espelho vejo seu vulto
A saudade vai me matar.
 
No casarão da minha mente
Vejo que está na janela
Parada no vazio da esperança
Revendo uma página bela
Que registrou nosso passado
Encanto para uma Cinderela.
 
Ouço vozes denunciando sua presença
Sinto seus passos me seguindo
Ao meu lado ouço seu sono
Como se comigo estivesse dormindo
Acordo abraçado ao travesseiro
Vejo seu rosto para mimsorrindo.
 

 
Gilvan Bulhões – Recife, 25/05/2016

gilvan bulhoes
© Todos os direitos reservados