Site de Poesias

Menu

Olhando um brinquedo

Na minha doce e bela infância
subindo e descendo no meu carrossel
Galopava sem medo....eu era criança...
Meu cavalo azul me levava ao céu!

E fui marinheiro e até coronel...
Guardo até hoje na minha lembrança
Os segredos, fantasia e andança
Os meus barquinhos de frágil papel.

Hoje percebo,olhando um brinquedo
como mudei, e estou tão sozinho...
Não tenho sequer um barquinho...

Não sou marinheiro e nem coronel!
Sem cavalo azul e sem carrossel
Sou homem crescido e sinto medo!

Compartilhar
Carlos Cintra
07/05/2016

  • 0 comentários
  • 58 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados