Tempo das horas

Tempo das horas

Desprograme-se da rotina insossa,
Dos objetos inúteis,
Das frases insignificantes
E pensamentos fúteis.

Lá fora , o tempo acelera
A vida clama por alguma chama
De luz que seduz
E depois se apaga.

Corre, menino!
Não se deixe levar pelo destino
E pelo descompasso das horas
Escreve a mais bela história
Que no maior desatino
Seja a melhor memória.

Luciana Araujo
© Todos os direitos reservados