Fugindo,

Fugindo,
 
Fugindo, fugi da vida
Fugindo, fugi de mim
Fugindo, nesta fugida,
Fugi do princípio ao fim
 
Fugindo, fugi de ti
Fugindo, nada encontrei,
E ao fugir aprendi...
Que fugi de quem amei !
 
Fugindo, porque eu fugi
Na verdade nem o sei
E ao ficar longe de ti
Outro amor, não encontrei.
 
Ao fugir da porta da vida
Mil caminhos eu trilhei
Porém, não encontrei guarida,
Como do amor que deixei
 
Ao fugir das contracenas,
Fugi dos braços que amei.
Hoje decrépito, fujo apenas
Das recordações que deixei
 
Os pés, já tenho sangrando
De tanto fugir de ti,
Quando disse: não te quero
Até pra mim, eu menti !
 
São Paulo, 06/01/2016 
Armando A. C. Garcia 
Visite meus blogs: 
http://brisadapoesia.blogspot.com 
http://preludiodesonetos.blogspot.com

 Direitos autorais registrados 

 
Mantenha a autoria do poema

ARMANDO A. C. GARCIA
© Todos os direitos reservados