Site de Poesias

Menu

EM UM DIA ASSIM

Foi em um dia assim...melancólica
manhã de domingo morno,sem graça que eu vi
você sorrindo a brincar com nosso filho pela
última vez.
Foi em um dia assim...melancólicas horas derradeiras,
daquela manhã de domingo,que você me disse
um breve até logo,até o dia de ano novo,
mas partiu dessa vida,de minha vida,de nossas vidas
pra nunca mais voltar.
Foi em dias passados que o nosso amor
teve começo,no meio desses caminhos,muitos
acertos,tropeços e certezas de que era amor verdadeiro.
Foi em um dia assim...cinzento,molhado,triste e rancoroso,
que eu atravessei caminhos chorosos
e vi o fim desse começo e meio do nosso amor.
Ah!Tudo é tão silêncio agora,porque
tudo acabou em um dia assim
de chuvas torrenciais,coração negro e petrificado,
cheio de ora de ódio,ora de dor,
olhos plangentes e perdidos no nada...pois nada
em um dia assim tinha sentidos.
Foi em um dia assim...que eu descobrir um outro eu,
soterrado nos porões de minha mente,nunca mais fui o
mesmo homem,um dia assim,o mundo ficará assombrado
e nesse dia,haverão de se tapar os olhos e os ouvidos
das crianças,porque o meu grito de vingança
preso à garganta será ouvido por todos
os séculos dos séculos das extremidades
da terra até a décima terceira porta
das profundezas do inferno.

Compartilhar
Charles Feitosa de Souza
25/11/2015

  • 0 comentários
  • 51 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados