Site de Poesias

Menu

Os sentidos

Brilha , brilha e incendeia
Minha luz e clara estrela
Ofusca meu olhar, os sentidos
Embaralha os instintos, cega o passado
Meu futuro imperfeito de um dia a mais que outrora
Um presente consistente, que no silêncio fala
És a visão no meio do nada.


Sejas céu na noite escura,um porto a mais na amargura
O norte das angústias a  cadência luminosa
Entre mil és o único na multidão solitária dos caminhos tortos
E dos sonhos desvendados, tens a mais bela história.


Na minha pele sois o tato, o toque manso do pecado
A ardência do fogo em brasa na candura dos meus versos
Das doces palavras de um paladar impróprio
O gosto de provar o corpo a qualquer hora
No sentido exato das estações.

Compartilhar
Luciana Araujo
04/11/2015

  • 6 comentários
  • 299 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados