Asas Desgovernadas


As minhas asas desgovernadas
Levam-me além dos meus sonhos.
As minhas asas alongadas
Conduzem-me além do meu tempo.
Preciso pousar, fugir dos ventos.
Preciso do chão,
Fazer meu ninho,
Descansar...
O homem sem asas
Não sonha, não constrói,
Não acredita no futuro.
Mas de que valem as asas
Se não se sabe mais voar.
De que vale o chão sem sonhos.
Preciso pousar para reaprender
a caminhar sobre o chão.
Preciso caminhar sobre o chão
Para reaprender a voar.
Deixar de voar? Nunca!

Obra registrada.
Protegida pela Lei de Direitos Autorais 9610.
Conheça mais sobre o poeta e escritor Ricardo Ohara:
www.agbook.com.br
www.clubedeautores.com.br

São Gonçalo - RJ