Site de Poesias

Menu

Herança do tempo.

Ao longo do tempo
os sonhos foram se distanciando
o corpo exausto diminuiu a marcha
o coração em descompasso
tenta manter o passo só por teimosia.
“Nas paredes do quarto as memórias penduradas”.
No espelho uma visão rude do viço se desfazendo,
não há meio termo entre vida e o tempo.
Os olhos turvam as mãos tremulam
vagas lembranças do passado, menos ainda do presente.
Os dias são todos iguais, sem perspectivas,
só o tempo inclemente nos faz dependentes de mãos alheias.
 
J.A.Botacini.
 

 
 

Compartilhar

Obrigado pelo carinho da visita ao sair deixe um comentário ou uma simples critica.

Jose Aparecido Botacini
15/07/2015

  • 2 comentários
  • 122 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados