Site de Poesias

Menu

Extratos do Coração

 

Já faz tanto tempo que o silêncio mudo

Perdura na alma de um coração que pulsa

O desejo que não esconde o conteúdo

Do poema apagado, mas que ainda versa.

 

Na distância em que o longe não é tudo

Pelo ar que um alguém ainda se respira

Com a vontade de um grito que agudo

Soa ao destino de uma vida por inteira

 

Aviso do tempo em alerta a recomposição

Dos olhares em desfile pela arte do mundo

Com a certeza de uma idéia em convicção

 

Em direção contrária a ausência da razão

Erradicando o frio de um pensar profundo

Sem medo e espera que torna tudo ser paixão 

 

 

Compartilhar
Murilo Celani Servo
05/07/2015