Me deixa

Deixa minha confusão 

Me deixa, que nela me entendo 

Me entendo na bagunça. 

No carnaval do coração. 

Me deixa na minha bagunça 

Que eu entendo minha confusão 

 

Me deixa com as minhas verdades

Que ate parecem mentira 

Me deixa com meu armário 

Ou conjugando embaixo da cama 

Me deixa com minhas mentiras 

Me deixa 

 

Me deixa na beira da estrada 

Que eu faço a minha partida 

Me deixa sem rumo, sem data. 

Que saudade nunca foi infinita 

 

Me deixa em algum canto escuro 

Que eu esqueço a sua presença 

Que eu esqueço da sua risada 

Que eu esqueço do meu arrepio 

 

Me deixa na minha estrada 

Que eu invento as minhas mentiras 

Acredito em minhas verdades

E no meio da minha bagunça

Me entendo ...

Ou não... me deixa.

thiago RIGONATTI
© Todos os direitos reservados