Gotas silenciosas

Mudo a cada noite e a cada amanhecer
Mudo minha forma e meu jeito de pensar
Vou reconstruindo os cacos ao entardecer
Perco-me em pensamentos, sem agonizar

Enfrento meus fantasmas do passado
Travo batalhas com minha consciência
Não posso esquecer, esse foi meu legado
Vou atrás dos passos da minha existência

Sobrando-me retratos e imagens distorcidas  
Pedaços do amor por meios escondidos
Que ao longo do caminho foram esquecidas

Nesta busca incansável restam-me as feridas
Dores do caótico vendaval de apenas fluídos
Caindo gotas silenciosas, tim tim das bebidas

 

Lucélia Lima

Lucélia Lima
© Todos os direitos reservados