Site de Poesias

Menu

Canto

 

Canto aquele que um dia nasci

Canto esse que jamais cantei

Me resta agora um resto de canto

Canto nos quais nunca me machuquei.

 

E é com o canto dos olhos que lhe vejo

Cantando tudo que lhe sinto num só canto

Não foi melhor prá mim o canto e sim o beijo

Que não houve e em min' alma, só desejo lá no canto.

 

Lhe aguardei em meu canto com ensejo

Prá sem escrúpulos de mansinho lhe passar um canto.

 

                              Pelos vários cantos da vida de todas  as

               maneiras e entendimentos sobre uma palavra.

 

                                         Nivaldo Kokada 

Compartilhar
Nivaldo Kokada
23/05/2015

  • 1 comentário
  • 86 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados