Site de Poesias

Menu

O FRESCOR DAS AGUAS

O FRESCOR DAS AGUAS

AS FOLHAS DAS ÁRVORES
QUANDO AINDA AS TENDO
NÃO SE MOVEM
NÃO SE MOVEM
NENHUMA BRISA
NENHUMA BRISA
SÓ O ARDOR VINDO DO CHÃO
E DO SOL VINDO DE CIMA
 
VÃO MUITOS NA MULTIDÃO
FEITO NÚMEROS CAMINHANDO
SEM NENHUM FRESCOR
A AFAGAR O SUOR
QUE LHES TURVA A VISÃO
 
E LOGO ALI NA FLORESTA
NÃO LONGE DO TURBILHÃO
AINDA VEMOS AS ESTRELAS
AINDA POSSUEM RIOS LIMPOS
RIOS COM ÁGUAS FRESCAS
TODAS À MÃOS CHEIAS
TODAS À MÃOS CHEIAS
 
SEMPRE DISPONIVEL
SEGUE SEU CAMINHO
SACIANDO A SEDE
DANDO ALIMENTO
E FRESCOR NA ALMA
QUE NO AMOR AINDA VIVE
E NA GRAÇA AINDA RESPIRA

MAS MUITOS NÃO DÃO MAIS VALÔR
NÃO DÃO VALÔR

Alegria e felicidade podem existir em toda a Criação. Misérias e aflição, doença e crime, vós, seres humanos, sozinhos os criais...” Abdruschin em Na Luz da Verdade – www.graal.org.br


 

Compartilhar
HSERPA
29/04/2015