Amarras...

A lembrança é um barbante...
Uma ponta amarrada no começo da história,
Outra, em nosso tornozelo.
Se o fio estica muito, mal dá pra continuar!
É a linha da memória que vai ficando puída,
A da lembrança, não!
Feita de fibra grossa,
Não afrouxa até que um anjo venha desatá-la
E a transforme numa corredeira de estrelas.
E quanto mais forte a corredeira for comprida,
Tanto mais rica há de ter sido a vida. 

Mauricio Lomes
© Todos os direitos reservados