ACONTECEU NA SALA


Abandonado por um amor de traição


Uma paixão, um amor perdido.


Estava fechada a porta do meu coração


Minha alma diferindo do espírito


Alma e espírito enclausurados


Como enxergar o amor no infinito.


 


Confuso mas amando em silêncio


Uma relação fervorosa, mas aberta.


Somente eu e ela sabíamos o segredo


Envolvidos num amor proibido


Uma paixão sagrada, inconveniente.


Um caso de amor mal resolvido.


 


Fingir! Éramos livres para pensar


Jura de amor não faltou


Aconteceu na sala naquele sofá


Nosso primeiro dia de amor.


Um amor que não posso esquecer


Ali se tornou nosso palco de amor.


 


Depois de uma longa noite de amor


Manhã de sol, brilha raios no horizonte


Em meu lugar pousa um marimbondo


Numa relação aberta existe a liberdade


Um amor proibido, profano e safado.


Carrego a cruz, levado pela saudade.


 


Gilvan Bulhões – Recife, 03/01/2015.

gilvan bulhoes
© Todos os direitos reservados