Sobre a sua cama.

 
 
Debruçado sobre sua cama
O meu corpo jaz inerte
Cansado de tanto flerte,
Mas teu corpo não se inflama.
Nas mãos de uma rude dama
Dou contas que sou um descarte
Sei que da sua vida não faço parte,
É por isso que meu coração tanto reclama.
O meu corpo viril arde feito uma chama,
Eu perco meu chão, meu sul e meu norte,
Enquanto meu coração sangra de morte
A minha alma ainda flutua sobe a sua cama.
[Desejos... Desejos..., todos em vão...].
Enfim, não resisto então, eu choro,
Debruçado sobre o colchão.
 
J.A.Botacini.
Setembro,2014.

 
 

Obrigado pelo carinho da visita ao sair deixe um comentário ou uma simples critica.
Jose Aparecido Botacini
© Todos os direitos reservados