Site de Poesias

Menu

Viventes

 Viventes
 
Aos surdos que se calam.
Diante de olhares enfatizado
pela crueldade dos gritos
Aos rostos que se assustam
pela desigualdade e indiferença
dos poderosos.
Aos cegos que apenas ver, sem
inxergar nem sentir a dor
dos que sofrem.
Aos individualistas, vestido
de sociedade, cheio de egoísmo.
E de dentes escancarados
Que lhe sorri, comendo-lhe
e lhe sugando a almas.
Aos que amam e estão
Muito distantes de tudo isso
Vivem uma vida com amor
A poucos vivente assim...
 
Estevo Lima
 

Compartilhar
Estevo Lima
12/08/2014