LABIRINTO

Desconheço o existir,

não posso negá-lo,

não o vejo.

 

Andar causa cansaço.

Dói o pisar,

sentir-se o caminhar.

As curvadas pernas apoio farejam

e somente um andarilho encontram.

Fogo sem luz.

 

A origem perdeu-se

carregada pelo redemoinho de direções.

 

Larga de mim, pura essência!

Deixe-me aqui, extraviada.

Enfim, chegará a estação

na qual,

a contragosto,

aceitarei que não sou nada

além de mim mesma.

Sil de Jesus
© Todos os direitos reservados