Terra da Agrura

Terra da Agrura

Eu conheci a “Desesperança Dura”...
Eu caminhei por entre ruas de barro e restos de calçadas
Onde da cidade a estrada nos leva à realidade dura
E que perdura na esperança que jaz junto aos tijolos sem reboco
Como o oco da ferida que não se vê cura

Nesta Terra de Desalentos...
A perplexidade toma conta dos desavisados que por lá tomam passagem
Onde lá descobrimos que coragem sem lamentos...
É sinônimo de postura para ajudar ao próximo em sofrimento
Cada um com a sua capacidade munida de um nobre sentimento

Eu conheci a “Desesperança Dura”...
Eu via a escassez caminhar lado a lado comigo
Onde o inimigo de quem lá habita é a própria existência dura
E que esturra a resistência necessária para o martírio do espírito
Como um grito ao surdo que não se atura

Nesta Terra de Desencantos...
A incompreensão quer o porquê da permanência do fardo em tranquilidade
Onde da caridade caberia ao forte amparar os fracos para mútuo crescimento
E não a indiferença alienada e crença de estar na atual idade com esclarecimento
Cada um a criar oportunidades aos outros para gerar caminhos dignos de ensinamento

Eu conheci a “Desesperança Dura”...
Eu senti o vento da desilusão em meio aos trapos e plásticos do caminho
Onde sozinho o abandonado se decompõe em mosaicos de consistência dura
E que fura a dignidade em função da realidade tosca do contexto
Que gera o grotesco cenário para se construir um lar em meio à agrura

Nesta Terra de Sofrimentos...
O alimento provém do que da cidade nós descartamos
Onde erramos que não há dolo para o consumo do que não se aceita
E que ao menos as proles deveriam ser poupadas da feia iguaria feita
Cada um que jaz que melhore para mudar o que no íntimo bem se ajeita

Eu conheci a “Desesperança Dura”...
Eu inquiri o conhecimento alheio para conseguir compreensão
Onde a educação significa apenas contato social de habilidade dura
E que não depura a razão para reagir à própria covardia
Como a luz do dia que não ilumina para dar lugar à loucura

Imagem: Abstrato - Coração de Folha Seca
.
em... http://olhares.uol.com.br...
.

Poesia elaborada em Aracaju-SE - Brasil