INEXPLICAVELMENTE

 Sem hora
Sem data
Ela aflora
Às vezes
Demora
Mesmo plantada
A pá, a enxada
Sendo muito regada
Nem sempre brota
No entanto
Sempre retorna
Cada qual em suas sinas
Seguimos eternas jornadas
Inspirando pensamentos
Brotando de mãos divinas
Inexplicavelmente
Surgem as poesias...

Alexander Man Fu
© Todos os direitos reservados