Site de Poesias

Menu

ECOS

Há um eco de silêncio em mim,
tal fosse música ainda não gerada,
como um apelo, onde emoldurados,
círculos afloram como gotas geladas.

Talvez lágrima obscura da palavra,
que serena amanhece e, mal amada,
adormece em pétalas a cobrir metade
do sabor ardente de uma saudade.

De onde estou, vejo a partida.
Almejo e sonho com a chegada.

Compartilhar
Mirzem
06/06/2014