Site de Poesias

Menu

070 Meu nome e amável pinto

[Ilustração não carregada]

Meu nome e amável pinto Quando eu te vi voçe andava tão desprevenido Que nem ouviu eu chamar o seu nome amável pinto Parei de pegar o carro correndo Eu não aceito conselho Por mais que eu corra eu não te alcanço Se existe amor não tem jeito eu não sei como esperar Sei Que o nosso amor nunca foi feito pra dura mais também O nosso amor não morrerá Depois que eu perdi o meu medor Não abro mão De ser feliz Ninguém pode negar que o nosso amor é tudo Aprendi a me virar sozinha, Tudo que pode acontecer Não vou querer ser o dona da verdade Vou pagar pelo o que fiz Quando eu te vi anda voçe andava tão desprevenido Que nem ouviu eu chamar o seu nome amável pinto tudo que falei já fui eu nâo sou capaz de menti Não te pedi uma conduta exemplar Mas é que a sua ausência é o que me dó Eu Quero na madrugada perturbar teu sono Quero ser o seu travesseiro, te reviro pelo avesso quero que voçe brincar do que quiser comigo Em Quatro paredes é intimidade É leite condensado no umbigo Quero em louquecer Tua cabeça enlouqueçe, seu corpo EU faço rolar na cama com seu sonhos Só fechar os seus olhos Sei que não sou santa,quem e santa sou piranha na cama as vezes vou na cara dura sou uma mulher Sei Que o nosso amor nunca foi feito pra dura so que o tempo tirar mais quando chamo seu nome amável pinto Eu não faço outra coisa do que me doar hoje Confesso acordei achando tudo indiferente um desejo doida de gritar um desejo doida de gritar seu nome amável pinto Hoje eu tô sozinha Desculpa falar desse jeito mais se eu te pegar nâo conto pra ninguém um desejo doida de gritar Sou condenada um desejo doida de gritar seu nome amável pinto Nunca tive a intenção de te machucar Pode me usar pode ficar a vontade Você pode me ver do jeito que quiser Não vou querer ser nunca a sua dona de verdade amável pinto Nunca tive a intenção de te machucar amável pinto sou sua amiga de verdade Autor Moises da vitória ribeiro

Compartilhar
MOISES DA VITORIA RIBEIRO
07/05/2014