Site de Poesias

Menu

068 Eu faço da lembrança um lugar seguro

[Ilustração não carregada]

E faço das lembranças um lugar seguro E não faço outra coisa do que me doar
Se causei alguma dor não foi por querer Nunca tive a intenção de te machucar
A cada ausência tua eu vou chorar Agora ta tudo acabado pior de tudo é que
a gente ainda vai se ver Qualquer distância entre nós Virou um abismo sem fim
Me machuquei, mas estou viva eu Abri mão daminha própria vida 
minha amizade e da minha 
família Tira meu nome da lista de telefone 
Você pode me ver do jeito que quiser Eu não vou fazer esforço pra te contrariar
o caminho da água também é cheio de pedras E o Rio Tambe Eu vou por ai.
Voltei ao ponto de partida Ouvi dizer que você tem um amor Que já tem um outra
Que nâo so eu Eu não tenho nada E não faço outra coisa do que me doar e  amar
sou marinheira eu navego é noutras águas do o ceano
onde cada homem é sozinho na embarçâo Não tem nada na cabeça so conta historia de pescador e lembrança de amores e  seu pesadelo de traiçâo
Se eu fosse contar Tudo que passei e ouvi Daria pra escrever um livro
Antes de te encontra 
sâo cheio de mãos seda tem sempre alguém uma mulher dando atenção Não vou dizer que tudo é banalidade a sua historia e fantasia
Eu chorei sem disfarçar Quando vi seu carro passar
Qualquer distância entre nós
Virou um abismo sem fim Eu Não quero te roubar pra mim
QUERO QUE VOÇE E saiba Eu não vou te convencer
que SO forte eu sei surporta Do que é certo aqui pra mim
Não quero pedir nada além de Asua Amizade
Eu não vou mudar você
Deixa o tempo lhe mostrar Ele  sabe tudo sobre mim

 
Autor Moises da vitória ribeiro

Compartilhar
MOISES DA VITORIA RIBEIRO
05/05/2014