Site de Poesias

Menu

066 EU MORDIA AMINHA LINGUA

[Ilustração não carregada]

EU MORDIA 
EU MORDIA MINHA LINGUA E PRENDIA AMINHA RESPIRAÇÂO
ALI  EDUCADAMENTE EU CHORAVA
EU  TINHA MEDO DE  TUDO  EU CONCOR  DAVA E SENTADA EU FICAVA
ELE DIZIA QUE ENTRE NOS DOIS NÂO EXISTE MAS NINGUEM
EU APENA CONCORDAVA   ALI  SENTADA  EU  FICAVA  MAIS
QUIETINHA EU FICA E CHORAVA  MEU  ARREM PENDIMENTO ME FAZIA CHORA
ALI  QUIETNHA  EU  FICAVA   MAIS ELE  DIZIA  FICA  CALMA MENINA TUDO VAI  FICA BEM
O MEU ARREMPEDIMENTO  ERA  SO ANOITE   QUANDO  ERA  AMADRUGADA  EU  NÂO TINHA
ESCOLHA  ENTÂO EU MORDIA MINHA LINGUA E PRENDIA  AMINHA RESPIRAÇÂO  ATE
O LIMITE E COM AS MÂO BEM SEGURA EU SEGURAVA UM CABO BEM GROSSO  NAS MINHAS
MÂO MAIS  E FIRME   ELE  TESSAVA NAS  MINHAS MÃO MAIS  EU MORDIA MINHA LINGUA
O MEU  MAIOR MEDO   ERA  O MEDO
QUE  EU  TINHA  ERA O MEDO  DA CANOA  VIRA  EU  FICAVA   QUIETINHA
EU MORDIA 
EU MORDIA MINHA LINGUA E PRENDIA AMINHA RESPIRAÇÂO
ALI  EDUCADAMENTE EU CHORAVA

 
AUTOR MOISES DA VITORIA RIBEIRO
 

Compartilhar
MOISES DA VITORIA RIBEIRO
30/04/2014