Site de Poesias

Menu

No tabernáculo da Fé

No tabernáculo da Fé


 


No tabernáculo da Fé
Depositei minha prece
A alma, a sente e crê        
Deus, dela se compadece

Verte a agonia do peito
Da rigidez da amargura
Meu Deus, volve perfeito
À Tua paz e ternura

Tenho a alma consumida
Sem esperança ou timoneiro
Na via, escabrosa da vida
Sou solitário caminheiro !

Na sementeira Divina
Sua a migalha do nada
Meu coração ilumina
Com Tua luz condensada

Para extinguir as tristezas
Seja a alma consolada
Dá-lhe a força e grandeza
De enfrentar a caminhada

Que a sombra e sofrimento
Sejam pra sempre afastadas
Meu coração sem alento,
Quer ver as dores resgatadas

O Teu poder é sublime
De varrer a amargura
Senhor! Minha alma redime
Dá-me as sobras da ventura!

São Paulo, 10/04/2014  (data da criação)
Armando A. C. Garcia

Visite meu Blog: brisadapoesia.blogspot.com


 

Compartilhar
ARMANDO A. C. GARCIA
10/04/2014

  • 1 comentário
  • 159 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados